Mostrando postagens com marcador protesto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador protesto. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Política: Protesto contra Temer reúne milhares de pessoas e fecha a Avenida Paulista

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil - Milhares de pessoas se reúnem neste momento na Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), em um protesto contra o presidente interino Michel Temer. O ato deve contar com a presença do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. O número de manifestantes ainda não foi informado pela Polícia Militar.


O ato foi convocado pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo sem Medo e reúne movimentos e centrais sindicais como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Nacional dos Estudantes (UNE), Intersindical, CTB, Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimentos dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), entre outros.

No protesto, manifestantes seguram faixas pedindo a saída de Michel Temer. Há também um varal com fotos tiradas em protestos em São Paulo. Um imenso caminhão de som foi atravessado na Avenida Paulista, ao lado do Masp, onde os líderes dos movimentos sociais se revezam para falar. É neste caminhão que, mais tarde, deverá estar o ex-presidente Lula.

“A manifestação tem como principal mote o Fora Temer. Porque não entendemos que este seja um governo legítimo, não reconhecemos esse governo e principalmente porque ele é um governo de ataque aos movimentos sociais e de ataque aos direitos sociais e de criminalização dos movimentos sociais e de repressão”, disse Carina Vitral, presidente da UNE.

“O mais importante para os movimentos sociais aqui é impedir o impeachment, impedir o golpe”, afirmou Vagner Freitas, presidente nacional da CUT, em entrevista coletiva concedida no local pouco antes do início do ato.

Para o líder do MTST, Guilherme Boulos, o governo atual representa um retrocesso no país. “É preciso entender a gravidade do momento que estamos vivendo. Está em curso no país um duplo golpe. Há um golpe por existir um presidente que não foi eleito por ninguém, que foi eleito por uma forma indireta, por um Parlamento descrebilizado na sociedade, mas também é um golpe contra os direitos sociais. Estão querendo aplicar um programa que também não foi eleito por ninguém e que é um programa de retrocessos”, destacou.

“Essa mobilização de hoje é um capítulo. As mobilizações vão se intensificar a cada passo que esse governo ilegítimo tente atacar o direito social dos trabalhadores”, acrescentou Boulos.

Plebiscito

Segundo Freitas, os movimentos ainda não avaliaram a posição da presidenta afastada Dilma Rousseff que disse ontem (9), em entrevista ao jornalista Luiz Nassif, na TV Brasil, que, caso volte à Presidência, vai pedir um plebiscito.

“Sobre esse tema, não temos ainda uma posição conjunta do movimento. A coisa mais importante que construímos nessa crise toda foi essa linda unidade da esquerda brasileira para impedir o impeachment e retomar a democracia”, disse o presidente da CUT. “Impedido oimpeachment, vamos discutir alternativas no campo da mobilização popular de enfrentamento contra o retrocesso.”
Freitas disse ainda que as centrais sindicais não vão aceitar a flexibilização da Previdência.

“Esse desgoverno, em um mês, causou mais transtorno para a classe trabalhadora do que podíamos imaginar. Não aceitaremos nenhuma mudança na Previdência que não seja discutida no foro dos trabalhadores e que apresente retirada de direitos. Não aceitamos idade mínima, não aceitamos igualar homens e mulheres e não aceitamos a ideia de acabar com o Ministério da Previdência”, concluiu.

Edição: Armando Cardoso

***
Leia Mais ►

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Protesto em Cannes contra o impeachment no Brasil ganha repercussão mundial [vídeo]

Uma mensagem de protesto contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, feita pelo elenco do filme Aquarius no festival de cinema de Cannes, repercutiu instantaneamente no Brasil e no mundo através da internet na redes sociais, sites e blogs. Assista ao vídeo (com legendas da narração), no momento em que no tapete vermelho a equipe e o elenco do novo longa do filme brasileiro de Kleber Mendonça Filho posou segurando cartazes que diziam: O Brasil não é mais uma democracia e "O mundo não pode aceitar esse governo ilegítimo".
Leia Mais ►

domingo, 6 de dezembro de 2015

Nossos meninos, passarinhos do Capitólio contra a intolerância

Luis Nassif no Jornal GGN – “No pequeno palco da Vila Pompéia, quase um subterrâneo, Anna Luiza e Luiz Felipe Lima iniciaram o show de lançamento de seu CD. Trabalho de fôlego, de um casal excepcional. Ele, um pianista e compositor dos maiores. A qualidade do seu piano, as melodias lógicas, mas fugindo totalmente do convencional, indicam o enorme compositor que não se tornou prisioneiro da técnica excepcional do pianista. Ela, uma cantora das mais completas, com uma capacidade notável de intercalar uma interpretação quase narrativa com entonações intensas. No final do show, subiu ao pequeno palco o convidado, o grande Zeca Baleiro para apresentar duas parcerias com Luiz Felipe.



Atrás da pilastra do salão, sozinho em uma mesa pequena, fiquei curtindo o show e elucubrando sobre esses momentos de escuridão que acometem o país.

Tudo caminhava para ser “apenas” um show de excepcional musicalidade, quando Luiz Felipe desandou a falar. E começou a falar da molecada, dos estudantes que tomaram as ruas em defesa da “nossa escola”.

Uma emoção intensa tomou conta do ambiente.

No dia anterior havia almoçado com um político de peso e sua esposa. Quando o assunto derivou para a rapaziada, os olhos da jovem senhora encheram-se de lágrimas. Naquele momento, compadecida da agressividade com que aqueles meninos, da idade dos seus, foram tratados pela Polícia Militar.


São curiosos esses momentos. Na imagem do rapaz sendo arrastado pela PM, naquele corpo retorcido, no rosto expressando dor, o que me tocou foi a imagem dos tênis. O mesmo ocorreu na tragédia de Santa Maria, os jovens corpos estendidos no chão, também com seus tênis e calças cortadas, o uniforme dessa rapaziada informal, dos nossos filhos e netos.

Os tênis me lembram o ritual das mães chegando em casa com o tênis, presenteando os filhos. É como se os tênis simbolizassem o carinho materno, o aconchego, a segurança quando saírem pelo mundo pisando nos terrenos mais inóspitos. Por onde passarem, a benção de mãe está nos tênis que os conduzem. A agressão ao menino de tênis soava como um sacrilégio contra os sentimentos que ajudaram a construir a civilização.

Ali, no pequeno porão, o sentimento já era outro. E Luiz Felipe, de discurso tão transbordante quanto seu piano, ia definindo o momento. Era a emoção de perceber que havia vida na cidade. Debaixo daquele solo aparentemente infértil, da sequidão de deserto, da paisagem desolada, habitada apenas por animais pré-históricos, em meio às botas dos dinossauros, tiranossauros, pterodátilos, havia pequenas sementes que foram semeadas, como estão sendo semeadas por todo o Brasil. Delas, nasceram meninos e meninas que, confrontados com a escuridão, brotaram do solo como soldados de luzes, encarando a grande batalha precocemente, antes mesmo de se tornaram adultos, mas já devidamente preparados para a vida.

Já vi de tudo na vida, as passeatas de 64, de 68, a marcha das diretas, a campanha do impeachment. A lembrança que levarei para sempre será a da molecada que ocupou as ruas em defesa da “nossa escola”.

Sua imagem tomando as escolas, organizando-se espontaneamente para varrer o chão, limpar os banheiros, preparar a comida, a maneira como falavam com orgulho da “nossa escola”, o cuidado de quem cuida delas como do próprio quarto. Mais que isso, a serena atuação de registrar antecipadamente a maneira como estavam cuidando das escolas desmontou as armações de adultos idiotas, de imputar-lhe atos de vandalismo claramente montados por agentes do Estado.

Os olhares indignados da molecada encarando PMs musculosos, sua convicção de que estavam do lado certo, sua jovem indignação de quem já absorveu os sentimentos da cidadania, tudo isso passou a convicção de que, por mais barulhento que seja o discurso da intolerância, por mais ruidosa que seja a campanha do ódio, eles não passarão. Como os cisnes do Capitólio, o alerta será dado pelos nossos passarinhos.”

***
Leia Mais ►

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Pesquisa: o perfil do manifestante da Avenida Paulista

O resultado da pesquisa realizada sob a orientação do filósofo Pablo Ortellado, da USP, e da socióloga Esther Solano da Unifesp, que reuniu dezenas de pesquisadores do núcleo de debates Matilha Cultural de São Paulo, você não verá nos principais jornais do país. Muito menos nas versões televisivas dos tradicionais canais de TV, como o Jornal Nacional da Globo, por exemplo.
Leia Mais ►

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Governo abre diálogo com caminhoneiros para negociar paralisação

Com o objetivo de tentar resolver os problemas decorrentes das manifestações que bloqueiam as rodovias em vários estados brasileiros, o governo federal se reunirá na tarde desta quarta-feira com representantes dos caminhoneiros e das transportadoras. No entanto, a redução do preço do óleo diesel não estará na pauta das negociações, disse o ministro da Secretaria-geral da presidência, Miguel Rossetto. Segundo o ministro, o governo está atento “acompanhando as manifestações dos caminhoneiros e mantendo diálogo permanente com as lideranças deles e dos empresários”.
Leia Mais ►

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Futebol - grupo de jogadores das Séries A e B do campeonato brasileiro protestam contra a CBF

Demorou. Alguns dias depois da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciar o calendário para 2014, um grupo de 75 jogadores da Séries A e B do campeonato brasileiro divulgaram um manifesto repudiando o curto intervalo e a maratona de jogos previstos para o período. Segundo o grupo, isto prejudicaria o nível técnico das competições e a integridade física dos dos jogadores.
Leia Mais ►

terça-feira, 16 de julho de 2013

Protestos de Junho lembram a Revolução Francesa. A comparação é válida?

Reza a história que nos tempos da França imperial aconteceu o ato revolucionário que se tornaria o marco mais importante da história da humanidade. Enquanto o poder público exercido pela elite monárquica e seus asseclas construíam exuberantes castelos, promoviam extravagantes festas, o povo passava fome e sofria com a desigualdade social e toda a sorte de privações e necessidades.
Leia Mais ►

terça-feira, 2 de julho de 2013

Bob Fernandes: No espólio dos protestos, cinismo e hipocrisia [vídeo]


Leia Mais ►

sábado, 22 de junho de 2013

O pronunciamento da presidente Dilma Roussef

Não sabemos exatamente se o presidente da República escreve todos os seus discursos e pronunciamentos oficiais, ou se o texto passa por uma edição especial antes de serem levados ao ar. Verdade é que este pronunciamento da presidente, Dilma Rousseff, em cadeia nacional de rádio e TV, feito ontem (21), em virtude das manifestações populares dos últimos dias, era mais necessário. Até por uma merecida satisfação ao povo brasileiro.
Leia Mais ►

terça-feira, 18 de junho de 2013

Luta contra tarifa incendeia o Brasil


"O Brasil parou. Cerca de um milhão de pessoas foram às ruas simultaneamente em 12 capitais e diversas cidades do país na última segunda-feira, 17 de junho. A frase do Movimento Passe Livre “Se a tarifa não baixar, a cidade vai parar” se provou não ser apenas um slogan.
Leia Mais ►

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Entrevista com Fernando Haddad: o aumento da tarifa, MPL e a militância digital [vídeo]


Leia Mais ►

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Por dentro das manifestações contra o aumento das passagens de ônibus em São Paulo

Manifestações contra o aumento do valor da passagens do transporte coletivo voltaram com mais intensidade nesta Quinta (13). Não só em São Paulo, mas também no Rio de Janeiro e Porto Alegre. Na capital paulista um clima de terror foi estabelecido. A Polícia reprimiu o protesto com bombas de efeito moral, gás lacrimogênio e balas de borracha.
Leia Mais ►

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Dia do Trabalho - Protestos marcam o 1º de Maio pelo mundo


Hoje, 1º de Maio, Dia do Trabalho, há júbilo e também desesperança em várias partes do mundo. Enquanto muitos trabalhadores comemoram conquistas de direitos sociais ao longo da história, milhares protestam quanto a retirada desses direitos. Na Grécia, milhares abandonam seus postos de trabalho e param balsas, trens e hospitais para realizarem manifestações.
Leia Mais ►

quinta-feira, 1 de março de 2012

As polêmicas manifestações pró e contra Vladimir Putin na Rússia

O frio glacial e a temperatura constante abaixo de zero na Rússia, não impedem que a população esquente as eleições presidenciais previstas para o próximo Domingo. O primiê Vladimir Putin, foi presidente de 2000 a 2008, depois tratou de conduzir seu protegido, Dmitry Medvedev, ao Kremlin. Mas, continuou sendo o líder de fato do país. Putin, que tem a preferência da maioria, quer voltar à presidência e colocar Medvedev em seu lugar. As manifestações favoráveis ao premiê, continuam. Mas, nos últimos dias grupos contrários agitaram a oposição.
Leia Mais ►

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Trabalhadores portugueses criam versão de protesto para "Ai, se eu te pego"

O Hit "Ai se eu te pego" ganha versão para protesto contra as medidas do governo português para conter a crise. Intitulada "Ai, Não Nos calam! é dedicada a luta dos trabalhadores portugueses contra o desemprego, corte nos salários e aposentadorias, e política de austeridade. No último dia 11 reuniu mais de 300 mil pessoas no centro de Lisboa. Nossos irmãos portugueses nos mostram que uma manifestação popular pode acontecer com bom humor, pacífica e sem violência. E por falar nisso,  você já viu a versão em "fado"? Igualmente ótima.
Leia Mais ►

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Protesto reune mais de 10 mil sites contra Lei antipirataria nos EUA

Gigantes da Internet como, Google, Facebook, Twitter, Yahoo, eBay, AOL, se uniram em um protesto on-line nesta Quarta-feira (18), contra a Lei antipirataria, que tramita no Congresso americano. Uniram-se aos mais de 10 mil sites  que protestaram na Grande Rede, o Reddit e a Wikipédia, que ficou fora do ar ao longo do dia. Um dos fundadores da enciclopédia livre, Jimmy Wales, disse que a atitude afetará em torno de 25 milhões de pessoas em todo o mundo, já que essa é a média de visitas que o site recebe diariamente.
Leia Mais ►

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Quanto o teu sorriso me incomoda...

Três pontos de vista sobre o mesmo assunto:

Primeiro: Retirada da Wikipédia, a enciclopédia livre.

Intolerância é uma atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças em crenças e opiniões. Num sentido político e social, intolerância é a ausência de disposição para aceitar pessoas com pontos-de-vista diferentes. Como um constructo social, isto está aberto a interpretação. Por exemplo, alguém pode definir intolerância como uma atitude expressa, negativa ou hostil, em relação às opiniões de outrem, mesmo que nenhuma ação seja tomada para suprimir tais opiniões divergentes ou calar aqueles que as têm. Tolerância, por contraste, pode significar "discordar pacificamente". A emoção é um fator primário que diferencia intolerância de discordância respeitosa. A intolerância está baseada no preconceito e pode levar à discriminação. Formas comuns de intolerância incluem ações discriminatórias de controle social, como racismo, sexismo, homofobia, homofascismo, heterossexismo, etaísmo (discriminação por idade), intolerância religiosa e intolerância política. Todavia, não se limita a estas formas: alguém pode ser intolerante a quaisquer idéias de qualquer pessoa. Em sua forma cotidiana, a intolerância é uma atitude expressa através de argumentação raivosa, menosprezando as pessoas por causa de seus pontos-de-vista ou características físicas e/ou culturais, retratando algo negativamente devido aos próprios preconceitos etc. Num nível mais extremo, pode levar à violência; em sua forma mais severa, ao genocídio.

Segundo: Sobre a Violência - Dead Fish

Você insistiu em não perceber,
virar as costas e esquecer,
agora é tarde, não tente se esconder!
E sobre a violência,
que você fingiu não ver agora explode,
agora explode em sua cara,
eu só vejo o sangue a correr.
Não há mais nada,
não tente se omitir
e nem aponte o dedo pra fingir não ser você.
E sobre a violência,
que você fingiu não ver agora explode,
agora atinge a sua vida
e eu só vejo muros a crescer.
E sobre a violência,
que você fingiu não ver, e agora explode,
agora atinge os seus filhos
e eu só vejo lágrimas a correr.

Terceiro: Por uma Curitiba Livre!!!

Amanhã 9:30 da manhã vai acontecer um ato em frente a reitoria, seguindo até o ministério público. Junto, uma petição para mais firmeza nos casos contra homofobia, racismo e preconceito... Segue aqui o cartaz para quem estiver por aqui poder se programar e participar de alguma das datas. Estarei lá no sádado. Apareça você também, e participe como no primeiro ponto de vista, de forma tolerante contra o "status quo" que tomou conta da nossa sociedade.
Valeu Guará.. é nóis!!

Leia Mais ►

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger