sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Governo do Estado mantém o ataque aos educadores

A diretoria da APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná saiu de mãos vazias da reunião com representantes do governo do Estado. Retomada da greve geral dos servidores estaduais, é inevitável. Uma assembléia estadual foi marcada para amanhã, 07/02, em Guarapuava, para deliberar a organização da luta para derrotar os projetos e ações de desmonte do serviço público do Paraná e da educação em especial.

Governo mantém o ataque sobre educadores

Da Assessoria do NP-NotíciasParaná.com



A direção da APP-Sindicato foi recebida em reunião na última quinta-feira (05) na Casa Civil. O objetivo do encontro era ouvir do governo respostas aos principais itens da pauta imediata da categoria. Na reunião foram debatidos blocos com os principais itens:

Pagamentos dos atrasados – O governo apresentou proposta de iniciar o pagamento de rescisão os PSS apenas no final de fevereiro, o que é inaceitável. Bem como, propôs parcelar em três vezes o pagamento do 1/3 de férias em fevereiro, março e abril. Para os demais débitos, o governo não apresentou proposta.

Processo organizativo e pedagógico das escolas – A direção cobrou do secretário de Educação a desorganização geral e humilhante provocada pela redução do porte de escola. Além disso, cobrou do governo a não autorização de matrículas e aberturas de novas turmas. Cobrou também a imediata reabertura distribuição de aulas para os projetos e os programas nas escolas e que o governo retome o porte de escola de dezembro de 2014.

O secretário reafirmou que nenhum programa será reaberto no período próximo e vai avaliar se será possível a retomada dos projetos nas escolas, não apresentando qualquer perspectiva de calendário. O governo ficou irredutível na revisão do porte de escola que está sendo aplicado.

Concurso público – Ao contrário do que o governador Beto Richa anunciou festivamente na última semana, não serão nomeados 5.522 novos concursados. O governo anunciou a redução de mil pedagogos que não tomarão posse.

Projetos de Lei - A direção insistiu que o governo retirasse imediatamente da Alep as mensagens 01 e 02/2015 que atingem diretamente um conjunto de direitos envolvendo todos os segmentos dos trabalhadores em educação. O governo afirmou que os projetos não serão retirados e também se recusou de rever o pedido de urgência na tramitação dos projetos.

A direção da APP afirmou, ao final da reunião, que diante da intransigência do governo acerca do conjunto de medidas, já em andamento, que a retomada da greve geral é inevitável.

Participaram da reunião pela direção estadual da APP o professor Hermes Silva Leão, presidente da entidade, professora Marlei Fernandes, secretária de Finanças, professor Mário Sérgio Ferreira de Souza, secretário de Assuntos Jurídicos e a professora Tereza Lemos, secretária de Organização. Acompanhou a direção o deputado estadual, Professor Lemos.

Representando o governo, participaram o secretário-chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra, o secretário de Educação, Fernando Xavier e o líder do governo na Alep, deputado estadual Luiz Claudio Romanelli.

Assembleia Estadual – A Assembleia Estadual, no dia 07 de fevereiro, em Guarapuava, irá deliberar a organização de toda a luta para derrotar os projetos e ações de desmonte do serviço público do Paraná e da educação em especial.

Fonte: NP-ParanaNoticias
Imagem: reprodução/applaranjeiras

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e compartilhe. Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger