sábado, 1 de julho de 2017

Papa Francisco e os desafios atuais dos sindicatos de trabalhadores

"Profecia e inovação são os desafios a serem vencidos se o movimento sindical deseja continuar com seu papel pelo bem comum", disse o Papa Francisco nesta quarta-feira (28) ao receber em audiência os delegados da Confederação Italiana do Sindicatos dos Trabalhadores (CISL), por ocasião do XVIII Congresso Nacional sobre o tema: "Pela pessoa, pelo trabalho".
Ao contrário das ações que vem sendo promovidas pelo governo interino de Michel Temer, através da imposição de reformas como a da Previdência e Trabalhista, que enfraquecem os sindicatos e prejudica a maioria dos trabalhadores brasileiros, o Papa Francisco destacou a importância das entidades sindicais como forma de construir um novo pacto social.

"Não há uma boa sociedade sem um bom sindicato e não há um sindicato bom que não esteja dentro das periferias com objetivo de transformar o modelo econômico", avaliou Francisco. Mas observou, que muitas entidades perdem o foco de atuação. "O sindicato, com o passar do tempo, acabou se assemelhando demais à política, ou, melhor, aos partidos políticos, à sua linguagem, ao seu estilo", declarou Sua Santidade.  

Em uma matéria repercutindo o discurso do Papa Francisco, a Redação do site Canção Nova destacou o seguinte: "A profecia é a vocação mais verdadeira do sindicato, explicou o Papa, é "expressão do perfil profético da sociedade". Mas nas sociedades capitalistas avançadas, o sindicato corre o risco de perder esta natureza profética e se tornar demasiado semelhante às instituições e aos poderes que, ao invés deveria criticar. Se falta esta típica dimensão, a sua ação perde força e eficácia."

"O segundo desafio é a inovação. Isto é, proteger não só quem está dentro do mercado de trabalho, mas quem está fora dele, descartado, ou excluído. "O capitalismo do nosso tempo não compreende o valor do sindicato, porque esqueceu a natureza social da economia. Este é um dos maiores pecados. Economia de mercado: não. Digamos economia social de mercado, como nos ensinou São João Paulo II".  

De certa forma, o Papa Francisco criticou a ganância da sociedade, traduzida aqui como empresários e mercado. "É uma sociedade insensata e míope que obriga os idosos a trabalhar por muito tempo e obriga uma geração inteira de jovens a não trabalhar quando deveriam fazê-lo por eles e por todos".

"E quando nem sempre e nem a todos é reconhecido o direito a uma justa aposentadoria - justa porque não é nem pobre demais, nem rica demais: as "aposentadorias de ouro" são uma ofensa aos trabalho não menos grave do que as aposentadorias pobres demais, porque fazem com que as desigualdades do tempo de trabalho se tornem perenes", pontuou o Papa.    

Sindicato é uma bela palavra que provém do grego "dike", isto é, justiça, e "syn", juntos: syn-dike, "justiça juntos". Não há justiça juntos se não é junto aos excluídos de hoje, conclui o Papa Francisco.

O discurso do Papa foi publicado por Sala de Imprensa da Santa Sé, em 28/06/2017. Confira aqui a tradução na íntegra do texto, feita por Moisés Sbardelotto. Abaixo, confira o vídeo com um trecho da fala de Francisco.



Fonte: Unisinos/Via Liberato
Imagem: reprodução

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e compartilhe. Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger