quinta-feira, 12 de março de 2020

Coronavírus é tragédia iminente: 'Brasil está brincando com fogo'

Da coluna de Fernando Reinach no Estadão - No dia 18 de fevereiro, exatas três semanas atrás, a Itália tinha três casos de coronavírus e nenhuma morte. Vida normal. Hoje, a Itália tem mais de 10 mil casos com 631 mortes. O sistema de saúde das áreas mais afetadas está em colapso: pacientes são atendidos nos corredores dos hospitais, praticamente não há mais leitos de UTI para internar pacientes mais graves e muitos deles, entubados, são tratados em salas de operação convertidos em UTIs.
Muitos médicos e enfermeiros foram infectados e abandonaram seus postos. Para tentar retardar o lastramento da doença, a Itália colocou 60 milhões em isolamento e o país vive situação de caos. Da normalidade aos caos em 21 dias. 


(...)

Também é fato que o Estado de São Paulo, com 44 milhões de habitantes, tinha ontem [11/03] 19 casos de coronavírus e 302 suspeitas. Isso demonstra que São Paulo ou outra cidade brasileira podem se encontrar em situação semelhante em três semanas. Veja bem: isso não quer dizer que teremos uma epidemia em três semanas, mas demonstra, sem sombra de dúvida, que essa é uma possibilidade real. Difícil aceitar, mas absolutamente real. 

(...)

Dos casos de coronavírus, aproximadamente 80% podem ser tratados em casa e a pessoa se recupera em uma ou duas semanas. Essas pessoas precisam ser identificadas, isoladas e sues contatos precisam ser testados. De novo a necessidade de um sistema de testes robusto. Os outros 20% precisam de tratamento hospitalar. O principal problema são os 6% de casos que precisam ser tratados com oxigênio e grande parte deles precisa ser entubada. Essas pessoas precisam de leitos de UTI e respiradores. Dois terços dessas pessoas (4%) se recuperam e as estatísticas mostram que 2% morrem.

O que tem ocorrido em todos os países é que esses pacientes ocupam por duas a três semanas o leito de UTI, impedindo novas internações. A quantidade de leitos livres no sistema hospitalar é muito pequena pois a maioria dos leitos é ocupada por pacientes com outras doenças. Aí vem outra prioridade: aumentar leitos de UTI. Na China foram construídos dois hospitais - por volta de 5 mil leitos foram adicionados. Uma conta superficial, que precisa ser refeita por especialistas, sugere que o Estado de São Paulo provavelmente necessitaria de 4 mil leitos além dos que existem. Claro que isso é impossível de organizar em duas ou três semanas, afinal não somos a China, mas se preparar significa aumentar os leitos e decidir sua alocação. 

(...)

Que eu saiba no Brasil nem sequer decidimos possíveis cenários que podemos enfrentar. Serão 10 mil casos, 100 mil ou 1 milhão em 2020? Estamos esperando para ver. Estamos brincando como fogo e provavelmente vamos nos queimar. 

Imagem: reprodução/Foto: AFP

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger