sexta-feira, 15 de maio de 2020

Política: Bolsonaro usa reunião com empresários para atacar governadores e não propõe medidas contra a crise

Durante encontro virtual nesta quinta-feira, 14 de maio, organizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), entre o governo federal e empresários, Jair Bolsonaro (sem partido) usou tempo para atacar governadores e não sugeriu medidas efetivas contra a crise. Alguns executivos criticaram a posição do mandatário.
Segundo reportagem de O Globo, empresários ouvidos sob a condição de anonimato afirmaram "se surpreender com a falta de propostas efetivas do governo em um momento de grave crise econômica" e que "esperavam soluções mais rápidas para, segundo eles, tentar minimizar os impactos econômicos da pandemia".

Durante a reunião por videoconferência, Bolsonaro não poupou seus comentários contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O líder chegou usar a palavra "guerra" para ilustrar o embate contra as medidas de contenção da pandemia adotadas por Dória.

"Um homem está decidindo o futuro de São Paulo. Está decidindo o futuro da economia do Brasil. Os senhores [empresários], com todo o respeito, têm que chamar o governador e jogar pesado, jogar pesado, porque a questão é séria. É guerra", disse. 

Sem medidas sugeridas pelo governo, os próprios executivos tiveram que propor ações para enfrentar a crise, "com aumentar linhas de crédito para atravessar a pandemia e a apresentação de pontos específicos para mudanças trabalhistas e para a reforma tributária", destacou o O Globo. 

Imagem: reprodução/divulgação

[Na reunião com os empresários, Bolsonaro pediu que o ministro Paulo Guedes interrompesse a teleconferência. "Dá uma parada aí, Paulo. Ô Paulo, tem um colega do último quadrinho ali que tá...", disse o presidente, rindo. "Tem um cara tomando banho aí. Tem um peladão aí. Fazendo isolamento peladão em casa e tal, beleza", responde o ministro. "O cara foi ficando com calor e foi tomar um bano frio", completa Guedes. Logo após o incidente, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, pediu desculpas pelo ocorrido.]

[Aloprado da Alesp: assessor de deputado bolsonarista está por trás de ataques contra Doria: "No início de maio, a hastag #AbreOImpeachmentCaue começou a se destacar nos trending topics do Twitter em São Paulo. A ideia era a de pressionar o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris (PSDB) a abrir o processo de impeachment contra o governador João Doria (PSDB)."]

[Doria responde a Bolsonaro: "Saia da bolha de ódio e comece a ser um líder: "Após ouvir do presidente que "um homem está decidindo o futuro de São Paulo, decidindo o futuro da economia do Brasil", que os empresários "têm que chamar o governador e jogar pesado", e que o cenário atual é uma "guerra", Doria usou sua conta no Twitter para contra-atacar Bolsonaro citando atitudes recentes dele em meio à crise."]

***

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger