sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Carlos Bolsonaro cometeu peculato, aponta Ministério Público

O MP-RJ disse à Justiça ter achado "indícios suficientes" de desvio de dinheiro público no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro na Câmara do Rio. A prática é chamada de peculato. O crime teria ocorrido através da nomeação de funcionários "fantasmas". Tudo isso aconteceu entre 2001 e 2019, segundo o Ministério Público.
www.seuguara.com.br/Carlos Bolsonaro/rachadinhas/peculato/

O MP pediu as quebras de sigilo bancário e fiscal de Carluxo e de mais de 20 ex-funcionários. E as informações encontradas na investigação é que houve manutenção por anos de assessores que não trabalhavam. Segundo o jornal O Globo, isso pode ser considerado desvio e apropriação indevida de recursos públicos. 


Mais cedo, o DCM havia noticiado que a 3ª PIP investiga a existência da prática de rachadinha. Além de entrega ilegal de salários de funcionários. Tudo isso apenas no gabinete de Carlos.

Assessores de Carlos e Flávio tinham assessores com empregos privados em seus gabinetes. Segundo o Ministério Público, eles mantinham ocupações incompatíveis com os cargos públicos.


Casos dos assessores da família Bolsonaro é vedado

Os regimes internos da Câmara Municipal e da Assembleia Legislativa proíbem acumular empregos públicos e privados. É vedada a manutenção de outros empregos quando há nomeação para cargo público.

As apurações do MP deixam clara a incompatibilidade das jornadas de trabalho. No Legislativo carioca, são exigidas 40 horas semanais.


O Essencial

Imagem: reprodução


RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger