terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Romã: benefícios, curiosidades e o significado simbólico para a Maçonaria

Os relatos, histórias e depoimentos acerca das propriedades e benefícios da Romã são inúmeros. Tanto quanto as lendas, mitos, superstições e curiosidades, que foram criadas em torno dessa saudável fruta, com origem nos quatro cantos do mundo desde os tempos bíblicos. A começar pelo fato de que a Romã não é propriamente uma fruta, ou fruto, e sim uma infrutescência.
Isto é, uma parte da planta que esconde as sementes. Neste caso, cobertas por sumo de sabor adocicado e agradável ao paladar. Poucas "googladas" nos revelam muito sobre o que dizem as pessoas, os pesquisadores e estudiosos sobre o simbolismo e o poder medicinal da fruta.

Pesquisadores do Brasil e de outros países, afirmam que a Romã possui propriedades antioxidantes, previne doenças como o câncer de próstata, retarda o envelhecimento, baixa os níveis do mal colesterol, além de produzir uma série de outros benefícios à saúde. Algumas pessoas dizem que atrai fortuna. Para outras, ela é a fruta do amor e há quem jura que a Romã é o viagra caseiro. Há estudos científicos comprovando que o suco de Romã, tomado diariamente, aumenta o nível de testosterona no corpo. Muitos a tem como símbolo da fartura e fertilidade. 

Verdade é, que desde o início do seu cultivo na antiga Pérsia (Irã), no ano 2.000 A.C., a romã está ligada a um forte estigma de simbologia, poder "milagroso" e misticismo. Citada comumente na Bíblia, em vários contextos no antigo testamento, seu simbolismo religioso também está presente no Judaísmo. Conforme disse o famoso rabino norte-americano, radicado no Brasil há vários anos, Henry Sobel: "A romã é uma das sete frutas pelas quais a terra de Israel foi abençoada". "Em um trecho do Talmud, o povo judeu é comparado às romãs. A passagem diz assim: "Teu tempo é como um pedaço de romã..." (Shir Hashirim 4:3) O que é interpretado da seguinte forma: "até os mais vazios entre vocês estão repletos de boas ações como a romã (repleta de sementes)".   
     
Entretanto, existe um fato ainda mais curioso e importante acerca da Romã. Ela também faz parte do conjunto de símbolos, emblemas e alegorias adotados pela Maçonaria, no mister da aprendizagem filosófica e do aperfeiçoamento espiritual de seus iniciados. Inclusive, faz parte da decoração das Lojas, assim chamados os lugares ou templos onde se reúnem periodicamente os maçons. Esculpidas, as romãs aparecem semi-abertas, em número de três, no topo de duas colunas representativas e igualmente simbólicas, interpostas no interior das lojas maçônicas. Muitas vezes, essas colunas aparecem dentro e fora dos templos, simultaneamente.




Mas qual é o significado simbólico da Romã para os maçons? Um dos grandes estudiosos da Ordem, o maçom Theobaldo Varoli Filho, diz o seguinte: "Como as romãs contém um grande número de semente, devem sugerir ao maçom fertilidade e abundância, no sentido de disseminar a Maçonaria em todo o Mundo".

Outro pesquisador famoso e escritor maçom, José Castellani, vai mais longe: "Os grãos reunidos em grupo, e que são separados de outros grupos por uma tênue película, mostram também que, embora divididos em Obediências e países, todos os maçons fazem parte do mesmo Corpo, simbolizado pela romã inteira".

Um trecho de um trabalho publicado na edição 300 da revista maçônica "A Trolha' de vários autores, com o título "O Simbolismo da Romã", define com propriedade o simbolismo da Romã na Maçonaria. Diz o seguinte: "A romã é uma e ao mesmo tempo múltipla. Seus grãos são rútilos, unidos, profícuos, cada um ocupando seu lugar harmonicamente no espaço que lhe é reservado dentro do seu compartimento, como os Maçons. Como um tecido biológico, composto por milhões de células. Retirada uma minúscula parte, continua existindo, mas a parte faltante deixa sua marca impressa no formato das partes vizinhas.

Como um microcosmo, como um espelho do Universo, onde todos os componentes se completam, se necessitam, se atraem, se influenciam. E os compartimentos, tantos em número, e surpreendentes, parecendo infindáveis, se por um lado aparentam estar isolados uns dos outros, na verdade estão intimamente ligados, por fazerem parte do mesmo conjunto, tal como as diferentes Lojas Maçônicas, que apesar de terem sua vida própria, servem à mesma finalidade e formam um só todo". Enquanto a romã representa a Loja e sua universalidade, as sementes representam os maçons.

Diz uma lenda sobre a Romã, que é impossível contar as suas sementes. Tal qual um mito muito difundido entre os próprios maçons e os "profanos": "jamais sabereis quem somos e quantos somos".   


Fonte: formadores de opinião/adaptado da "coluna gravada" de autoria de José Ronaldo Viega Alves.  
Imagem: reprodução/pt.dreamstime 


RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e compartilhe. Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger