domingo, 17 de outubro de 2021

Fake News: Notícias falsas já desmentidas voltam a liderar as buscas

www.seuguara.com.br/fake news/noticias falsas/desinformação/redes sociais/
Reportagem de Edgard Matsuki*: Talvez pelo assunto fake news estar em voga, talvez por estarmos vencendo a batalha (não a guerra) contra as fake news sobre a pandemia, talvez por estarmos na iminência de um relatório na CPI que visa indiciar disseminadores de fake news. O motivo não é claro, mas o fato é que os últimos 7 dias foram relativamente tranquilos em relação à desinformação.
www.seuguara.com.br/fake news/notícias falsas/desinformação/redes sociais/

Uma das provas disso está nos 10 termos mais buscados no Boatos.org na última semana. Três são relativos a informações reais (nota fiscal paulista, bateria de nióbio e Round 6) e sete são de notícias falsas já desmentidas no Noatos.org e em outros sites de checagem (novas multas, Perigeu, Whatsapp Gold, multas, Bolsonaro, ivermectina e Roger Hodkinson). É justamente sobre esse último grupo que vamos falar. Ou melhor, indagar.


Não é de hoje que grande parte da desinformação que circula na internet é fruto de informações que são, além de falsas, antigas. Vamos destacar três exemplos dentre os termos mais buscados da semana.


O primeiro deles envolve o termo WhatsApp Gold. Em 2016, um aplicativo falso do WhatsApp com esse nome foi utilizado por golpistas. Nesse período, um alerta para "não baixar o aplicativo" circulou na internet. O problema é que, mesmo depois da questão solucionada, a mensagem continua circulando. Desmentimos essa corrente em 2018. Mas tivemos que "renovar os desmentidos" em 2019, 2020 e 2021, porque as mensagens continuavam, com pequenas variações, circulando.


O segundo envolve supostos novos valores de multas. Por algum motivo, uma "bela alma" resolveu compartilhar que a "indústria das multas" iria começar a cobrar valores exorbitantes a partir de "hoje". A mensagem com valores completamente errados foi desmentida no Boatos.org pela primeira vez em 2015. Mesmo assim, a mensagem (provavelmente por usar o termo "hoje") teve que ser desmentida em 2017, 2018 (aqui e aqui), 2020 e 2021.


O terceiro envolve uma suposta pesquisa que mostra uma "vitória esmagadora de Bolsonaro de acordo com institutos de pesquisa. Desde 2017 (antes mesmo das eleições de 2018), pesquisas bombásticas com Bolsonaro com maioria absoluta de votos. Em 2018, o mesmo boato circulou por várias vezes. Em 2020 e, mais recentemente, em 2021, pesquisas com textos similares circularam on-line.


Os exemplos citados mostram que, infelizmente, desmentir as mesmas notícias diversas vezes, não é suficiente para alguns tipos de desinformação. Nós fazemos a nossa parte: desmentimos a notícia falsa, posicionamos o nosso artigo com a informação correta em boas posições nos buscadores, disponibilizamos em nosso site e incentivamos o compartilhamento da informação correta. O nosso trabalho ajuda, e muito, as pessoas que se propõem a buscar pela informação correta. Porém, é preciso mais.


Aí ficam algumas indagações: 


1) Será que é impossível para plataformas brecarem o compartilhamento e/ou o copia e cola de textos "padrão" e batidos? 


2) Será que é impossível que se garanta mais possibilidades para internautas verificarem conteúdos duvidosos ou vamos continuar falando em "você que lute"?


3) Porque é mais fácil compartilhar a informação falsa do que pesquisar a informação verdadeira? Enquanto perguntas como essas não forem respondidas, continuaremos recebendo daquele "parente próximo que se acha esperto" correntes insuportáveis e falsas que continuam garantindo engajamento dentro das plataformas.


Trends da semana

As palavras mais buscadas no Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, Nota fiscal paulista, Novas multas, Perigeu, Bateria de nióbio, Whatsapp Gold, Multas, Round 6, Bolsonaro, ivermectina, e Roger Hodkinson.


Os desmentidos mais lidos do Boatos.org nos últimos dias foram, em ordem crescente, sobre a notícia falsa que apontava que o Jorge Paulo Lemann seria dono de uma fábrica de absorventes, que o cantor Thiaguinho havia iniciado um relacionamento com o jogador de vôlei Bruninho, que a Ri Happy estaria dando presentes de Dia das Crianças no WhatsApp, que a União Europeia substituirá vacinas por ivermectina e que Cláudia Raia e Xuxa venderam as mansões por causa de Bolsonaro.


No Twitter, no Facebook e no Instagram, o conteúdo com maior engajamento era o que desmentia que Bolsonaro estaria com 88% na última pesquisa Ibope. Por fim, no Telegram, e no YouTube, o conteúdo mais visto era  o que desmentia a notícia falsa sobre Jorge Paulo Lemann e Tabata Amaral.


*Edgard Matsuki e editor do site Boatos.org, site que já desmentiu mais de 6 mil notícias falsas

Imagem: reprodução


RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger