quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer: 'O importante é a vida e este mundo injusto que devemos modificar'

"O mais importante não é a arquitetura, mas a vida, os amigos e este mundo injusto que devemos modificar". Essa foi uma das famosas frases do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, considerado um dos nomes mais influentes na arquitetura moderna internacional e pioneiro na exploração de novas formas de construções e plásticas do concreto armado.

Nascido no Rio de Janeiro em 15 de dezembro de 1907, em Laranjeiras, Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho formou-se em arquitetura e engenharia em 1934 pela Escola Nacional de Belas Artes. Filho de Oscar Niemeyer Soares e Delfina Ribeiro de Almeida, casou-se aos 21 anos com Annita Baldo, com quem teve sua única filha, Anna Maria, falecida em junho deste ano, aos 82 anos. O arquiteto ficou viúvo em 2004 e, em 2006, casou-se com sua secretária, Vera Lúcia Cabreira.

Niemeyer começou a frequentar o escritório de Lucio Costa ainda em 1934. Em 1936, participou da comissão formada para definir os planos da sede do Ministério da Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, sob supervisão de Le Corbusier, a quem assistiu, como desenhista, durante sua estada de três semanas na cidade.
Entre 1940 e 1944, projetou, por encomenda do então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek, o conjunto arquitetônico da Pampulha, que se configura num marco de sua obra. Em 1947, foi convidado pela Organização das Nações Unidas (ONU) a participar da comissão de arquitetos encarregada de definir os planos de sua futura sede em Nova York.

Em 1955, fundou, no Rio, a revista Módulo, e, no ano seguinte, a convite do então presidente da República, JK, começou a participar da construção da nova capital, cujo plano urbanístico foi confiado a Lucio Costa. Em 1958, Niemeyer foi nomeado arquiteto-chefe da nova capital e transferiu-se para Brasília, onde permaneceu até 1960. Em 1972, abriu um escritório em Paris.

Autor de extensa obra no Brasil, Niemeyer realizou também grande número de projetos no exterior, como a sede do Partido Comunista Francês, em Paris, em 1967; a Universidade de Constantine, na Argélia, em 1968; e a sede da Editora Mondadori, em Milão, também em 1968. Sobre as obras feitas em Brasília, Niemeyer disse: “Quem for a Brasília pode não gostar dos palácios, mas não pode dizer que viu antes coisa parecida. E arquitetura é isso – invenção".

Click aqui para acessar a matéria completa, e ver a relação das obras do arquiteto.

Assista documentário: "Niemeyer por Niemeyer - cem anos de história"


Da Agência Senado



RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e compartilhe. Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger