quarta-feira, 24 de maio de 2017

Política: PEC de Eleições Diretas pode ser votada na próxima semana


Jornal do Brasil - O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) leu na manhã desta quarta-feira (24) o parecer sobre a PEC 67/2016, que prevê a realização de eleição direta para presidente e vice-presidente da República em caso de vacância dos cargos nos três primeiros anos do mandato. De acordo com Lindbergh, o projeto deve ser votado já na outra quarta-feira (31) na CCJ. Para a oposição, trata-se de uma vitória importante, principalmente depois que a base conseguiu obstruir o andamento de PEC com a mesma proposta na Câmara dos Deputados, na terça-feira (23).


Lindbergh é o relator da proposta, de autoria do senador José Reguffe (Sem Partido). Em vídeo publicado nas redes sociais, o senador destacou a mudança da ordem do dia para conseguir ler a PEC. Após leitura do relatório, foi concedida vistas coletiva. De acordo com ele, a votação na CCJ está marcada para quarta-feira.

"Ontem, a base governista na Câmara dos Deputados fez uma mobilização para impedir que acontecesse isto lá, que tinha a PEC [de eleições diretas] do [deputado federal] Miro Teixeira. Lá, o pessoal não conseguiu. Aqui, a gente conseguiu. Então a gente pode dizer para vocês que a gente conseguiu uma importante vitória. Começou a tramitar a PEC que fala em eleições diretas", declarou Lindbergh.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) ressaltou, inclusive, que a tramitação de projetos é mais rápida no Senado do que na Câmara. Se for votada mesmo na próxima quarta-feira, a PEC já segue ao plenário e depois para a Câmara. Gleisi reforçou que a PEC de antecipação de eleições gerais, de 2018 para 2017, poderia sofrer maior dificuldade de tramitação, mas que a PEC de eleições diretas pode avançar. "Temos uma solução para apresentar ao Brasil."

O senador Jorge Viana (PT-AC), por sua vez, chamou a atenção para a "enorme mobilização" desta quarta-feira por eleições diretas, com a presença de "dezenas de milhares de trabalhadores de todo o Brasil", "fundamental" para a tramitação de matérias como esta PEC, em um momento de "absoluta falta de credibilidade".

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) comentou que a leitura da PEC de Reguffe abre espaço para discutir a questão, no mesmo dia do Ocupa Brasília, "atos que se vinculam", para a população brasileira "voltar a ter o direito para eleger o presidente".

Para a senadora Fátima Bezerra (PT-BA), o andamento da pauta no Senado fortalece a "luta para trazer saídas para o Brasil", em um momento em que o governo está "moribundo", e vai permitir a "única saída" para apontar outro rumo para o país. "O Congresso não tem condições de maneira nenhuma de substituir o povo e decidir quem vai ocupar o lugar de Michel Temer", apontou a parlamentar.

"Se empurrar, o Temer cai", disse Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que defende a necessidadede combinar as ações no Congresso e nas ruas. "Hoje é dia de ocupar Brasília e outras capitais do país. (...) Ontem [na Câmara], eles [base aliada] se perderam. não conseguiram colocar clima nenhum de normalidade. Hoje, perderam de novo. A base do governo dissolve pelos dedos."

***
RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e compartilhe. Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger