sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022

Bolsonaro desautoriza Mourão sobre Ucrânia: "Não lhe compete"

Reportagem de Emilly Behnke, no Poder360: o presidente Jair Bolsonaro criticou e desautorizou nesta quinta-feira (24) o vice-presidente Hamilton Mourão por causa de sua fala sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia. O chefe do Executivo mencionou artigo da Constituição Federal e afirmou ser o único com a "competência" para falar de questões internacionais.

www.seuguara.com.br/Bolsonaro/Mourão/Rússia/Ucrânia/

Mais cedo nesta 5ª feira, o vice-presidente negou que o Brasil esteja "neutro" em relação ao conflito. Ele declarou que o país concorda com a invasão do território ucraniano pelas tropas russas.

"Deixar bem claro, o artigo 84 da Constituição diz que quem fala sobre esse assunto é o presidente e o presidente chama-se Jair Messias Bolsonaro. E ponto final. Então com todo respeito a essa pessoa que falou isso, eu via as imagens, falou mesmo, e está falando algo que não deve. Não é de competência dela, é de competência nossa", disse Bolsonaro durante live semanal nas redes sociais.


Na transmissão ao vivo, o presidente estava acompanhado do ministro Carlos França (Relações Exteriores). Bolsonaro afirmou que antes de falar sobre o "problema Rússia-Ucrânia" consulta o chanceler e o ministro Braga Netto (Defesa). O chefe do Executivo encerrou a live dizendo que teria mais uma reunião sobre o assunto com os ministros para "dimensionar o que está acontecendo". 


"Quem fala dessas questões chama-se Jair Messias Bolsonaro e quem tem dúvida disso basta procurar na nossa Constituição o artigo 84. Mais ninguém fala. Quem está falando está dando peruada naquilo que não lhe compete", declarou.

Assista ao vídeo:




Bolsonaro não falou sobre o ataque da Rússia contra a Ucrânia. Ele repetiu que o Brasil defende a paz e voltou a elogiar a conversa que teve com p presidente russo, Vladimir Putin, em 16 de fevereiro.


"A decisão é minha, mas quero ouvir pessoas que realmente são ministros para tratar desses assuntos. Nós somos da paz, nós queremos paz. Viajamos em paz para a Rússia. Fizemos um contato excepcional com o presidente Putin", disse.


Em sua viagem à Rússia, Bolsonaro foi orientado anão introduzir o assunto sobre a situação na fronteira com a Ucrânia em sua reunião com Putin. Mas, ainda durante a visita oficial, Bolsonaro afirmou que, "por coincidência ou não", a Rússia anunciou que iria retirar tropas da fronteira com a Ucrânia.

O presidente ainda não falou diretamente sobre o conflito desde a invasão russa na madrugada desta quinta-feira. Nas redes sociais, afirmou que está "empenhado no esforço de proteger e auxiliar os brasileiros que estão na Ucrânia".


Brasileiros na Ucrânia

Carlos França declarou na live que cerca de 500 brasileiros vivem na Ucrânia. Ele disse que a embaixada em Kiev está "aberta" e fez um apelo para que os brasileiros entrem em contato com a embaixada. França disse ainda que a tradição diplomática brasileira é de incentivar e facilitar o diálogo.

"Estamos elaborando plano de contingência para retirada desses brasileiros", disse. O ministro disse, no entanto, que a retirada dos brasileiros só ocorrerá quando houver "condições de segurança" para tal.


O Itamaraty já havia informado nesta quinta-feira que não haverá, por enquanto, operação de retirada de brasileiros e cidadãos sul-americanos da Ucrânia. A situação "fluída" no país não garante segurança para essa missão, segundo o embaixador Leonardo Gorgulho, secretário de Comunicação e Cultura.


Imagem: reprodução


RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger