quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Palestras de Deltan Dallagnol financiavam movimentos de rua, por Luis Nassif

Por Luis Nassif, no GGN - A última reportagem do The Intercept sobre a Lava Jato confirma suspeitas e mostra coincidências curiosas em relação ao modo de operação dos financiamentos da indústria da anticorrupção. O político recebe pelo caixa 2 para financiar sua campanha, e parte do dinheiro vai para enriquecimento pessoal.

A reportagem do The Intercept mostra que o MUDE (Instituto Mude - Chega de Corrupção) foi criado e, na prática, era dirigido por Dallagnol, além de ser constituído por membros da Igreja Batista frequentada por ele.

Dallagnol nunca escondeu sua proximidade com o grupo. Ele costumava ceder a líderes do Mude espaço em suas palestras sobre as dez medidas, especialmente as realizadas em igrejas. Os integrantes, porém, eram apresentados publicamente apenas como membros da sociedade civil que haviam abraçado o projeto. Mas as conversas mantidas entre eles no Telegram deixam claro que o procurador coordenava o grupo e acompanhava todos os seus passos, ainda que desse a eles autonomia para decisões administrativas de menor porte. 

'próxima manchete será "o instituto que o dr Deltan criou como fachada pra fazer pressão nos deputados", preocupou-se uma voluntária.  

Autor de várias iniciativas de divulgação das dez medidas, tais como um "ônibus outdoor" destinado a divulgar as propostas pela região de Curitiba, o Mude passou a ter CNPJ próprio em setembro de 2016. O objetivo era facilitar, entre outras coisas, a captação de recursos para suas ações. Em julho daquele ano, quando o grupo estava às voltas com as últimas burocracias para se formalizar, um dos líderes fez um pedido a uma colega em um grupo de Telegram composto apenas pela cúpula do movimento. "coloca aqui como seria a composição da diretoria estatutária e do conselho que conversamos? Deltan precisa ver e indicar nomes". 

A nota oficial do MPF do Paraná, em resposta à reportagem, revela que Deltan usou parcela das palestras para financiar o MUDE. 

"O procurador Deltan Dallagnol não lidera nem integra o Mude, mas apoia o instituto que é apartidário; conhece seus integrantes e seu compromisso com a causa pública e fez doações, que permitiram o desenvolvimento de um curso online de cidadania. O procurador jamais recebeu recursos do Mude. O procurador sugeriu a algumas pessoas interessadas no trabalho anticorrupção que conhecessem o Mude. 

Suponha que setores interessados em derrubar o governo quisessem financiar ações pró-impeachment, mas sem se comprometer. Bastaria contratar uma palestra de Dallagnol, que repassaria parte das palestras ao Instituto. E pode explicar também o fato de o procurador Diogo Castor ter bancado um cartaz em Curitiba em favor da Operação. 

Segundo o The Intercept:

Em 18 de novembro de 2016, a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, noticiou que Dallagnol havia visitado a redação do jornal, na capital paulista, acompanhado de Tiago Stachon, vice-presidente de Planejamento da Opus Múltipla. A agência de publicidade, sediada em Curitiba, fazia campanha publicitária contratada pelo Mude para divulgar as dez medidas. 

Blogs de esquerda exploraram a ligação de Dallagnol com a empresa a partir dessa nota, o que preocupou a cúpula do Mude. Em um chat privado com o procurador, Patricia Fehrmann, do Mude, disse que a diretoria da Opus Múltipla não havia gostado da repercussão do caso e temia que a agência abandonasse a parceria com o instituto.

Dois dias depois, ela disse a Dallagnol que a crise com a Opus Múltipla ainda não havia sido resolvida e explicou seu temor de futuras repercussões: "próxima manchete será "o instituto que o dr Deltan criou como fachada pra fazer pressão nos deputados" - vão chegar no Mude por causa da ligação com a Opus, vão procurar o CNPJ, estatuto, vao ver nomes e chegam aqui na igreja facil. todos da igreja do Deltan". 

Dallagnol procurou tranquilizá-la. "Concordo com providências, mas calma rsrs...segura a ansiedade. Se forem fazer isso, vão fazer de qq modo, fale e ou não...é o endereço que ficou o da igreja, não.?", perguntou. A líder do Mude confirmou. "Já pedimos pra alterar o endereço. Vai mudar essa semana. Mas o original ficou da igreja". 

O cachorrinho e o cachorrão

As páginas do MUDE, no Facebook, são carregadas de posts atacando Ministros do Supremo e elogiando Dallagnol. Como a nota de 20 de abril passado:

"A Lava Jato é a briga de um cachorrão contra um cachorrinho. E a gente é aquele cachorrinho bem bravo. E sabe porque ele não é esmagado? Porque não é um só, são 10, 20, 50 cachorrinhos. A nossa força é a força da sociedade, de um consenso social que vem se fortalecendo contra a corrupção e contra a impunidade no nosso país"  


Intercept - a incrível cobertura da Laja Jato

Incrível como as ações de um grupo de deslumbrados, que revelavam todas suas estratégias pelo Telegram, que arrotavam esperteza com os colegas, tenha passado totalmente em branco pela cobertura dos setoristas. Eles não faziam cobertura: davam cobertura. 

Leia também




Imagem reprodução 

***

RSS/Feed: Receba automaticamente todas os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e compartilhe. Seu comentário é muito importante para agregar valor à matéria. Obrigado.

Arquivos

Site Meter

  ©Blog do Guara | Licença Creative Commons 3.0 | Template exclusivo Dicas Blogger